Didáticos


 
Algumas Dicas Para ser uma boa aluna e bailarina(o)... 


O que Você Não Deve Fazer...

  • Conversar, sussurrar ou rir durante as aulas.
  • Usar roupas rasgadas, sujas ou em mau estado.
  • Usar roupas, inclusive polainas, que fiquem caindo.
  • Usar joias, relógios e bijuterias grandes.
  • Beber água sem autorização do Mestre.
  • Ligar um ventilador ou abrir uma janela sem permissão.
  • Tirar fotografias sem permissão.
  • Ficar assistindo [à aula] da porta da sala.
  • Sentar ou se pendurar nas barras móveis ou fixas.
  • Pendurar roupas ou bolsas nas barras móveis ou fixas.
  • Alongar antes da aula de maneira errônea como puxar as pernas, fazer grand ecárt, ou pior, pedir para outra pessoa puxar as suas pernas.
  • Falar ao telefone ou mandar mensagens de texto.
  • Comer na sala de aula.
  • Colocar a mão ou se apoiar no piano ou nas barras.
  • Mascar chicletes, balas, Goma de mascar, etc.
  • Usar relógios e penduricalhos...
  • Pés descalços ou de meias na aula de ballet.
  • Usar sapatos e roupas “da rua” em aulas de ballet.
  • Coreografar os seus próprios passos ou repassar movimentos ou coreografias antes da aula de outro Mestre ou em corredores, halls, etc.
  • Entrar na aula com atraso.
  • Sair da aula mais cedo.
  • Se posicionar na frente da primeira pessoa na barra ou no centro.
  • Usar botas de aquecimento nos exercícios de centro.
  • Ficar de mão dada ou entrelaçar os cotovelos com um colega de classe.
  • Ouvir o seu iPod ou MP3 player.
  • Usar Figurinos para fazer aula.
  • Tirar e colocar blusas, casacos durante a aula.
  • Levar Animais de estimação para a Escola.
  • Usar collants sensuais.
  • Ter Mau odor corporal ou perfume forte.
  • Cabelos longos soltos ou longos rabos de cavalo.
  • Estar sem camisa no caso para os rapazes em sala de aula
  • Utilizar Bolsas muito grandes.
  • Que os outros coloquem as barras móveis no lugar sem ajudar.
  • Cochilar em sala.
  • Bocejar durante as aulas.
  • Olhar para o chão.
  • Ficar sonhando, conversando ou fazendo outros movimentos enquanto seu Mestre passa a sequência.
  •  
O que Você Deve Fazer ...

  • Ouça seu Mestre e as correções que ele faz não só para você mais como para as outras bailarinas.
  • Faça exatamente o que o Mestre pede, saber ouvir e ser dirigida é fundamental mais tarde em Audições e Companhias.
  • Não seja bailarina de um lado só, esforce-se para realizar os movimentos que o Mestre pede tanto para o seu lado dominante como para o que você tem maior dificuldade.
  • Tente executar todos os passos e movimentos que o Mestre ensinou no momento da aula; não invente outros movimentos, seja disciplinada e educada.
  •  Cuide de seus braços, costas, pernas e pés.
  • Trabalhe a memória do corpo (memorize as sequencias).
  • Tenha consciência corporal (conheça seu próprio corpo).
  • Siga o ritmo quando o mesmo for determinado
  • Seja educada e faça silêncio, a bailarina não deve falar e  sim dançar.
  • Aceite seus erros e corrigia-os; Preste atenção no que seu Mestre corrige. O coreógrafo ou professor não são seus inimigos.
  • Tenha consciência espacial e conheça bem o espaço em que você está fazendo aula.
  • Domine seu corpo e movimente-se de acordo com as suas possibilidades e limitações.
  • Interprete bem o papel principalmente quando estiver interpretando alguma personagem. Não copie nada do YouTube, principalmente balés de repertório, utilize esse canal apenas como estudo. Somente seu Mestre é capaz de repassar os repertórios, é ele que sabe e conhece a sua técnica e qual personagem você estará apta a interpretar.
  • Utilize corretamente a respiração, cuidar de sua energia e modera-la para chegar forte até o final da dança.
  • Fazer aulas diariamente e ouvir seus professores e Mestres.
  • Ter senso de oportunidade e não ser oportunista, seja disciplinado e responsável.
  • Quando estiver numa Companhia tente resistir à fast-food e também á dor - você terá sua recompensa e provavelmente ninguém ocupará seu lugar.
  • Alimente-se bem.
  • Dormir bem também é essencial.
  • Ensaiar quantas vezes for necessário e quantas vezes seu Maestro exigir.
  • Use roupas adequadas e cuide das suas sapatilhas.
  • Beber bastante água durante o dia é fundamental.
  • Se estiver doente, repouse, mas é melhor não adoecer.
  • Faça exatamente sempre o que o Maestro pediu, nem mais nem menos.
  • Nunca limitar-se, explore ao máximo o que pode conseguir.
  • Faça sempre o melhor que puder ou então é melhor nem fazer, Superar-se constantemente.
  • Realize tudo pelo seu “fazer” artístico, o dia em que ficar entediado com as salas de balé abandone a dança!...
  • Não seja bailarina de caixa de música, de crachás, YouTube e festivais ou aquelas que só andam de bolsas, roupas e agasalhos de balé e andam pelas ruas em en dehors. Tenha atitude de bailarina, estude e tente crescer na dança.
  • Se o seu caminho for uma Grande Escola de Balé ou uma Companhia Profissional não esqueça que o tempo passa para todos... Idade, técnica, disciplina e responsabilidade são fundamentais para uma bela carreira na dança. Não deixe o tempo passar.
  • Lembre-se...  Existe regra para tudo e Bailarinas também seguem regras. Siga-as e terá com certeza um bom caminho a percorrer na dança.

30 Regras de Ouro da Bailarina(o).
Extraído do "Blog Mâos Que Dançam"


1. Cuidar de seus braços, costas, pernas e pés.

2. Trabalhar a memória do corpo (memorizar as sequencias).

3. Ter consciência corporal (conhecer seu próprio corpo).

4. Seguir o ritmo. (Quan...do o mesmo for determinado)

5. Cuidar do silêncio (o dançarino não deve falar, mas sim dançar).

6. Aceitar seus erros e corrigi-los (o coreógrafo ou professor não são seus inimigos).


7. Nada de goma de mascar, relógios e penduricalhos ...

8. Não olhar para o chão (a menos que tenha sido solicitado).

9. Não lutar pelo emprego ou pela posição mas ganhá-lo.

10. Ter consciência espacial (conhecer bem o espaço em que você está indo para dançar).

11. Dominar seu corpo e mover-se de acordo com as suas possibilidades e limitações (tomar cuidado de si mesmo e para evitar lesionar-se).

12. Interpretar bem o papel (quando estiver interpretando alguma personagem).

13. Cuidar de sua energia (modera-la para chegar forte até o final da dança).

14. Fazer aulas diariamente e ouvir seus professores e Maestros

15. Ter senso de oportunidade (não oportunista), 
disciplinado e responsável.

16. Resistir à dor (você terá sua recompensa).

17. Comer bem.

18. Dormir bem.

19. Ensaiar o tanto necessário.

20. Usar roupas adequadas e cuidar dos seus sapatos.

21. Beber bastante água.

22. Sorrir (ninguém tem que saber que dói).

23. Se estiver doente, repousar (mas é melhor não adoecer).

24. Dançar dia e noite, desfrutar ao máximo (e prová-lo).

25. Faça exatamente como te pediram (nem mais nem menos).

26. Nunca limitar-se (explorar o que pode conseguir).

27. Fazer sempre o melhor que puder (ou não fazer).

28. Superar-se constantemente.

29. Apaixonar-se pelo seu “fazer” artístico, o dia em que ficar entediado com este trabalho abandone a dança!...

30. O bailarino segue as regras... 

O resto dos mortais só irá, quando muito, lê-las

 Extraído do "Blog Mâos Que Dançam"



Sapatilha de Ponta

As Marcas de Sapatilha de Ponta pelo mundo você encontra na "Pointe Shoe Brands"

         

  “Se não der certo, eu viro professora!”


 Texto Extraído do Blog " Dos Passos da Bailarina "
 
Hoje eu tocarei em um daqueles assuntos bem delicados, mas do qual não dá para fugir. Há professores que sempre quiseram dar aula e há professores que acabaram seguindo esse caminho por outras circunstâncias. Mesmo assim, a regra geral entre eles é um profundo respeito pelo próprio ofício: eles reconhecem a grande importância e influência que têm em mãos. No ballet clássico, a história é outra. É muito comum professoras de ballet darem aula porque não conseguiram ser bailarinas profissionais. Ou até conseguiram, mas muito aquém do que sonharam. Para continuarem com a dança em sua vida, foram para as salas de aula. E aí mora um grande problema. Frustração é um negócio complicado de lidar. Eu tenho cá para mim, e vocês podem ficar bravos comigo, que boa parte da grosseria e humilhação que vemos nas aulas de ballet clássico são provenientes dessa frustração enrustida. Se o lugar dessas pessoas era o palco, por que elas têm de ensinar? E isso só piora quando as alunas e os alunos não atingem nem metade do considerado ideal! Já pensaram como é complicado? Enfim, as aulas se tornam um meio de sustento e um tapa-buraco. Mas é um tapar o sol com a peneira, porque essas professoras estão onde não deveriam estar. É preciso ter responsabilidade. Uma coisa que dizemos ou fazemos afeta uma pessoa para o resto da vida. Tanto para o lado bom quanto para o lado ruim. Além disso, professores são grandes responsáveis pela formação de alguém em determinado assunto. Talvez vocês nunca tenham pensado a respeito, mas todo bailarino do mundo passou pelas mãos de um professor. Claro que existe outro lado, o dos bons professores e professoras de ballet clássico. São dedicados, respeitam os seus alunos e, os mais importantes se respeitam. Reconhecem a própria importância. Sem eles, não dançaríamos ballet. Mas o que tenho percebido é que dar aulas é visto como algo menor. A segunda opção. O único jeito possível de ganhar dinheiro vivendo de dança. Sem falar na ausência de método e didática, como se oito anos de ballet clássico fossem suficientes para formar um professor. E não é para ser assim. É preciso deixar claro o seguinte: ser bailarina clássica é uma coisa, ser professora é outra. É possível ser as duas? Sim. Mas se você nunca pensou em dar aula, faça um favor ao mundo do ballet, não lecione. Deixe isso para as pessoas realmente comprometidas com o ensino, com os alunos e com a própria profissão.Para terminar, um vídeo sobre o programa “Chance to Dance” do Royal Opera House. Não é preciso entender inglês para perceber a importância dos professores na formação dessas crianças. E como é lindo ver isso!

Autora do texto: Cássia Pires



Profissional de Mentirinha


Profissional é todo aquele que  possui conhecimento específico em uma área, profissão, especialista, e,  que adquire esses saberes por meio de estudos que devam possuir e  estabelecer as fases necessárias para um ensino completo, cursos técnicos ou superiores. No Caso da Dança que é o fogo desse artigo, inclui-se também passagens por uma boa escola e  uma companhia de dança. Creio que para ser professor de dança e coreógrafo, o pretendente deve ter vivido e passado por diversos estágios. Na primeira etapa acontece o aprendizado como aluno e lá se vão oito a dez anos de estudos ou mais conforme a idade que se teve inicio esses estudos...depois vem a segunda etapa que é a de bailarino, repassar para os palcos tudo aquilo que foi ensinado dentro das salas (isso é claro continuando a realizar aulas regularmente), no meio dessa avalanche de informações surgem, os mini cursos, cursos, curso técnico, superior, etc.... que é a terceira etapa, concluída mais ou menos esse longo período, nasce então, a quarta fase, que é a de coreografar, digo, coreografar, não copiar do youtube etc...outra fase complicada, pois estará em jogo corpos que suam e que buscam liberdade para seus movimentos, e é necessário estar atendo não só ao corpo presente mas ao desenvolvimento cognitivo, motor (ossos, músculos) e o que é correto coreografar para aquele corpo-objeto, sua história, seu personagem e sua vida e o que esse ser pode e deve falar com a linguagem corporal sem passar por algum  momento constrangedor .... E assim vai anos e anos e chega então a quinta etapa que é a de professor ... ensinar e repassar tudo aquilo que lhe foi ensinado nesses anos, e hoje em dia, não basta o mestre saber apenas a seqüência de uma aula de balé, ele deve saber e estar super atento a todo corpo clínico desse aluno, mais uma vez ao cognitivo e motor (músculos, ossos) e o que é correto repassar para os corpos ao qual está ensinando, evitando assim, possíveis lesões não só hoje como num futuro próximo. Infelizmente não é isso que ocorre, sabemos que muitos professores e profissionais de dança surgem de um dia para outro, fazem seus cursos em festivais, arrebatam prêmios em eventos e logo saem por aí dando aulas, cursos e coreografando. Tanto dar aulas e coreografar requer talento, dom, vivência e principalmente informação, atualização  e formação, essa sim é a contribuição e a função de um profissional da dança. Seja consciente, não brinque de professor e coreógrafo  de mentirinha !


View more presentations from marcossage

 




Dicionário do Balé 

 

ARABESQUE - Arabesco. Palavra originária do árabe significando ornamento. Posição na qual o peso do corpo é sustentado numa só perna, enquanto a outra se encontra estendida para trás, geralmente no ar e com os braços dispostos de maneira harmoniosa. Os ombros e os quadris devem estar virados para frente. 




        (a) arabesque                           (b)  arabesque penché (inclinado)

ASSEMBLÉ - Juntos ou reunidos. Um passo no qual um pé escorrega pelo chão como num tendue, é jogado ao ar, e nesse momento, o bailarino levanta a perna de apoio, esticando os dedos dos pés. Ambas as pernas vão ao chão, uma após a outra, em 5ª posição.


ATTITUDE  - Uma das pernas fica no ar, ligeiramente flexionada, e a outra fica como apoio. As pernas devem ficar viradas para fora, rotação de quadril  - a coxa da perna que está no ar fica levantada, com o joelho apontando para o lado.

           (c) attitude effacée        (d) attitude croisé derrière

Fonte: Dicionário de Balé

Livros
03 livros para o seu momento de lazer.



 Uma Vida Pela Dança

Tony Petzhold: Uma Vida Pela Dança
Apresentação: Freire, Ana Luiza - "Tony Petzhold: Uma Vida Pela Dança". Editora Movimento. 2002. Série Dança volume 2.


"Giselle - "O Vôo Traduzido"

Giselle - O Vôo Traduzido"
AApresentação: "Giselle - "O Vôo Traduzido" de Roberto Pereira

A Dança
A Dança
Apresentação:
Autor Klauss Vianna
Colaborador: Marco Antônio de Carvalho
Editora: Summus Editorial
Páginas: 160
"A Dança" narra a trajetória do bailarino e coreógrafo Klauss Vianna
Referência no universo da dança, ele revolucionou a arte no Brasil ao introduzir a noção de trabalho corporal para dançarinos e atores.
"Dançar é muito mais aventurar-se na grande viagem do movimento que é a vida". A frase sintetiza o pensamento de Klauss Vianna (1928–1992) como bailarino, coreógrafo, professor de dança e de teatro, mas, sobretudo, como um homem apaixonado pela dança.







SAPATEADO - DICAS



STEP – bater a chapinha da frente com peso
STAMP – bater o pé inteiro no chão com peso
TAP – bater a chapinha da frente sem peso
DIG – bater o calcanhar na frente
STOMP – bater o pé inteiro no chão sem peso
HEEL BEAT – bater o calcanhar com o pé que está com o peso
HEEL STEP – bater o calcanhar com transferência de peso
HEEL TAP – bater o calcanhar sem transferência de peso
TOE – bater a ponta do sapato
BRUSH FROM – arrastar a chapinha da frente para frente, como uma escovada.
BRUSH BACK – arrastar a chapinha da frente para trás, como uma escovada
SCUFF – arrastar o calcanhar no chão para frente
HOP – saltar com uma perna só sem trocar de peso
LEAP – saltar na meia ponta, de um pé para o outro, transferindo o peso
HEEL CLICK – com o peso nas meias pontas, virar junto o calcanhar para bater
TOE CLICK – com o peso em ambos os calcanhares, virar para dentro para bater as pontas do sapato
JUMP – saltar com as duas pernas
CHUG – o pé que sustenta o peso desliza para frente, terminando no calcanhar
PULL – deslizar o pé que está com o peso para trás terminando no calcanhar
PUSH – deslizar a meia ponta para frente
LUNGE – Puxada como uma escorregada de uma perna, enquanto a outra está elevada ou não para qualquer direção.
SHUFFLE – combinação de brush from com brush back
BALL CHANGE – contratempo de dois steps
FLAM – Batida com a parte de fora ou de dentro do sapato
FLAP – junção de brush from com step
SLAP – flap sem transferência de peso
FLAP BACK – junção de brush back com step
SCUFFLE – arrastar o calcanhar no chão e puxar um brush back
HEEL CHANGE – pise no calcanhar de um pé e rapidamente pise na meia ponta do outro ou no calcanhar do outro
TRIPLE – fazer um shuffle e um step, em apenas um compasso
RIFF – junção de brush from mais scuff
SLIDE – movimento de um pé sobre o chão em qualquer direção, com ou sem transferência de peso
SLIRP – Similar ao Riff com a precisão do Flap: bate Toe e Heel caindo ao mesmo tempo no chão, colocando o peso em cima
SPANK – um brush para trás
SCRAPE – arrastar a ponta ou a lateral do sapato no chão em qualquer direção
DRAW(puxar) – movimento de um pé sobre o chão, partindo de uma posição aberta para uma fechada, com ou sem transferência de peso
CLAP – bater palmas
DROP – queda do calcanhar (heel) ou da meia ponta (toe)
TURN – giro
OVER THE TOP – colocar a perna direita na frente e saltar com a perna esquerda por cima da direita
PULL BACK – com 2 sons, salto com o peso nas duas pernas, executando dois brushes simultâneos para trás, caindo em ambas as pernas, também o double pull back com 4 sons.
WINGS – Como o bater de uma asa, executando com as duas pernas juntas ou não. Inicia-se um Brush para o lado tirando com a ponta do pé quase deitado, de lado, e volta no Brush normal acabando em Dig.

PASSOS COMBINADOS
CRAMP ROOL – step(d), step(e), heel(d), heel (e)
BUFFALO – leap(d), shuffle(e), leap(e)
WALTZ CLOG (valsinha) – step(d), shuffle(e), ball change(e-d)
SIDE ESSENCE – step(d), brush side(e), ball change(e-d)
CINCINATTI – brush back(d), heel(e), shuffle(d), heel(e) ou tap(e), step(d)
BOMBER SHAVE – flap(d), tap heel(e), step(d)
DRAW BACK – flap(d), tap heel(e), step(d)
SCUFFLE – tap(d), heel(d), brush(d)
PADDLE AND ROOL – dig(d), brush(d), step(d), heel(d)
MAXIFORD – stamp(d), shuffle(e), leap(e), toe(d)
TIME STEP – sequência de passos, existe o simples, duplo, triplo, com heel, bob audy, wings…

 Muito importante é manter o RITMO e a CRIATIVIDADE para melhorar o seu desempenho durante o aprendizado

Fonte: CM Sapateado




BALLET INICIANTE


Posições do Corpo



En dehors


O en dehors usado no balet clássico tem origens antigas e representa estabilidade.  No en dehors usa-se pernas e joelhos esticados  e os pés virados para fora em cerca de 90ºgraus,vide gravura:


Antigamente era aconselhado usar o en dehors para conseguir mais estabilidade ,pois os figurinos eram deveras pesados e grandes. Anatomicamente é uma rotação exercida pela fêmur e seus músculos responsáveis que são o sartório,o ilio-psoas, o glúteo maximus e o bíceps femoral.     

 

A seguir as posições dos pés em en dehors:




















Posições dos braços segundo a
Royal Academy of Dancing


  • Bras bas: os braços devem estar descontraídos, um pouco adiante do corpo e pouco dobrados nos cotovelos, com os dedos continuando a curvatura dos braços para criar um formato oval.Relaxe os ombros, mantenha os polegares próximos dos outros dedos e procure não mostrar as costas das mãos
  • Demi seconde: posição preparatória aonde os braços são mantidos do lado do corpo, um meio termo entre 2ª posição e bras bas
  • 1ª posição: os braços fazem um desenho oval à frente do corpo, sendo que as mãos devem estar curvadas na altura do estômago.Relaxe os ombros, sustente os cotovelos e vire as palmas da mão para si
  • 2ª posição: abra bem os braços, porém mantenha-os ligeiramente na frente dos ombros. Eles devem estar relaxados e um pouco curvos, porém não deixe os cotovelos caírem. As mãos devem estar voltadas para frente e os dedos flácidos e flexíveis
  • 3ª posição: é uma fusão da 2ª com a 1ª, ou seja, cada braço fica em uma posição.
  • 4ª posição: esse é uma fusão da 2ª com a 5ª. Enquanto um braço está um pouco recurvado ao lado, o outro está ligeiramente adiante da cabeça, também fazendo uma graciosa curva (veja quinta posição).
  • 5ª posição: os braços devem estar fazendo um desenho oval um pouco adiante da cabeça, emoldurando o seu rosto. Não levante os ombros,e mantenha as palmas das mãos voltadas para você.


Arabesques






(a)-(d) Demi plié em 1ª e 2ª pos. 
(b) Fondu a la seconde 
(c) Grand plié em 1ªpos.





(a) Rond de Jambe en dehors - movimento circular da perna para fora 
(b) Tendu devant, de coté, derriére, de coté (en croix)


 


(a)  Direções das pernas: devant / de cote /  derriére
(b)  Petit Battement Jeté a la seconde  ou  de coté





Petit Battement Frappé




Releve / sous sus/ rise/ soutenu





 Retiré passé


 Petit sauté em 1ª posição





Vestimenta para Aulas de Ballet

Roupa para usar durante a aula de ballet adulto é um caso sério. Escolas mais tradicionais utilizam uniformes padronizados, do modelo de sapatilha ao colant inclusive nas cores usadas. Essas regras valem mais para crianças e adolescentes pois além de ballet estão aprendendo também a ter disciplina. No Ballet para Adultos o caso é outro. Muitas mulheres carregam um sonho de realizar a bailarina que queriam ser quando crianças, daí surge aquela imagem toda cor-de-rosa, vestida dos pés a cabeça, o que também está liberado. Mas pensando bem, quando se faz balé adulto já somos bem crescidos, então lembrem do que você tem à mão e não deixe que a vestimenta seja um empecilho para você ir à aula, por vergonha do corpo ou até pelo custo. O bom é estar sempre livre para variar ou mesmo mudar de idéia.  Em primeiro lugar: não importa como você venha a aula, desde que venha e venha feliz, se sentindo bem com você. Toda cor-de-rosa ou mesmo inteira colorida, que seja livre, leve e solta. Use peças de algodão, com ou sem lycra, mas que permitam os movimentos do corpo. Vale tudo: calça de moleton (se for comprida use dobrada), legging, meia, colant, macaquinho, shorts ou bermuda solta, camiseta cortada, top justo ou regata. Um ambiente favorável para você criar sua própria moda! O que é fundamental: como professor preciso ver e corrigir o que as partes do seu corpo estão fazendo. Para isso preciso de roupas justas, claras ou que mostrem certas partes do corpo, como, abdomen, joelhos, quadril  e tornozelos. Então não dá pra ficar escondido sob roupas largas, escuras e mil sobreposições de peças.


Colant: não é obrigatório mas ajuda muito na colocação do tônus da parede abdominal, portanto é altamente recomendado! Procure nas lojas especializadas em Ballet e verá que existem mil modelos e uma variedades de cores, com ou sem strass, com recortes nas costas ou com as costas abertas.  O cabelo: se for comprido tem que ser preso sim, inclusive a franja. Lembre dos cambrés e das piruetas. Mesmo que não seja com coque, use grampos, presilhas tic-tac, faça rabo-de-cavalo ou ainda prenda com lenços originais, tiara ou faixas de lycra. O ideal é a cabeça estar livre atrás da nuca, por causa dos exercícios no chão também. Você é amante do uniforme? Se o seu caso é esse lembre daqueles dias tão corridos que não dá tempo nem de lavá-lo. Sem problemas! Se isso acontecer improvise um novo figurino para aula com peças variadas caso seu uniforme estiver sujo, de molho ou secando no varal. Em suma, essa nunca deve ser um desculpa para faltar às aulas. Quando o assunto é inverno: fica impossível evitar as sobreposições com mil camadas de roupas, claro. Casaquinhos, perneiras e polainas são sim permitidas, mas conforme a aula esquenta e o corpo vai se aquecendo as camadas vão sendo retiradas também...


Acessórios: Retire tudo que é supérfluo e não faz parte do figurino de uma bailarina(o). Brincos grandes ou de argola, relógios, colares, pulseiras com pinduricalhos, piercing aparente... além de poder cair e quebrar algo que é seu e tem valor causa um super estrago no caso de haver uma colisão com outro bailarino na aula, pense nisso. Pequenos objetos de metal também são ótimos para desfiar uma meia de ballet inteirinha... Pense na sua segurança e na dos outros. Se você usa óculos é bom pensar em trocá-los por lentes, se possível é claro.

 



Foto Plano de Fundo: Coreografia | "The Messiah | Silêncio" do Mestre Jair Moraes


HORÁRIO